greve, dizem eles.

Como diria Pessoa, sinto-me fragmentada por ver como esta situação toda se 'resolveu'. A meu ver, acho uma tremenda injustiça haverem alunos a realizarem a prova e outros não, e pior ainda haver numa escola alunos a fazer exame de português e outros postos de 'parte'. Espero pelo menos que haja algum tipo de preocupação por parte dos professores e do ministério de forma a que a solução que venham a propor não prejudique (ainda mais) os alunos, pois visto que o exame muito provavelmente não será anulado (para os poucos que o fizeram) não haverá igualdade nas temáticas abordadas na prova de hoje, e na de sabe-se-lá-quando. 
Por outro lado, nós, os alunos que não fizeram exame, vamos ter mais tempo para estudar e preparar-se, o que torna toda esta situação injusta para os que realizaram a prova hoje! Tudo bem que, tendo em conta a triste situação do país em que estamos, há que haver sacrificados para que a coisa não piore (já parece um retorno ao regime salazarista). Ainda assim, deveríamos ser avaliados de igual forma, visto que é o nosso futuro que está em risco, apesar de toda esta situação ter começado a pensar exactamente no melhor dos alunos das gerações futuras. Acho isto uma autêntica treta, mais valia terem adiado o exame e evitar toda esta situação. 

Sem comentários: