Here we go again


Voltei a ter uma crise existencial. Que posso eu dizer? Estava muito bem à meses atrás, agora até nojo de mim tenho, mas pronto, a adolescência é difícil e plena de paranóias encorajadas por palavras não pensadas, lançadas como flechas no coração. Nunca liguei ao que me dizem, mas, como óbvio que é, ecoa sempre cá dentro. Só queria sentir-me bem de uma vez por todas, poder dizer que me orgulho do que sou e fui até à data. Mas como? Se continuo na merda que sempre fui, sem motivação para uma mudança? Para quem conseguiu uma vez, uma segunda ronda não há-de ser nada. Mais ninguém tem controlo sobre o que sou, para além de mim mesma, e é isso que me dá um certo gosto em viver.

Sem comentários: