primeira vez.

Ontem pela primeira vez visitei a tua casa sem a tua presença. Estava cá em baixo, sentada no banco por baixo daquela laranjeira onde te costumavas sentar comigo sempre que faziamos almoços de familia. Olhava vezes sem conta para a tua janela, mas a coragem tardava em aparecer, talvez nunca tenha aparecido. Nisto a avó veio á janela, com aquele ar inocente e tão querido, e tu sabes que eu nunca lhe consigo dizer que não. Ainda hesitei, mas fui. Antes quando entrava no segundo piso sentia logo aquele cheiro característico, aquele que eu até costumava dizer desde pequenina ''cheira a avô". Desta vez não senti nada, nem sequer quando a avó me abriu a porta com o seu cabelo despenteado e olhar perdido. Não sei o que se passou comigo, a primeira coisa que fiz foi correr para a sala, como fazia todas as vezes na esperança de ainda me voltar a deitar mais uma vez encostada á tua barriga inchada, onde me acariciavas o cabelo e acabava por adormecer ali a teu lado. Por vezes escutava o teu coração, e ritmava os batimentos na perna. Entrei na sala mas tudo o que encontrei foi um vazio mortal, uma sala incrívelmente arrumada, um sofá sem as almofadas e os teus cobertores, uma mesa sem medicamentos, ou as bolachas que eu te roubava. Já não é a mesma casa, já não sei o que é. Fechei-me na casa de banho até conseguir reter as lágrimas, a avó não merecia ver-me assim. Delicadamente dirigi-me ao teu quarto, onde começaste a passar as tuas ultimas semanas e mais uma vez, o vazio. Sabes que a avó agora senta-se na varanda a maior parte do tempo? Tem um chapéu de sol, e duas cadeiras, senta-se a beber chá ao lado do teu Aloe Vera e pensa em ti. "Para quem será a segunda?" Avô, não me esqueci de quando disseste que todos na familia eram calhaus menos nós os dois, que todos os outros não interessavam só eu, porque ambos tinhamos o mesmo dom, o desenho. Amo-te, preciso de deixar de te escrever, não te consigo deixar ir.

39 comentários:

Vanessa ൪ disse...

O texto está lindo Sara ! *

Leonor disse...

está lindo o texto (:
e muita força *

Leonor disse...

obrigada*

carina disse...

está lindo , adorei o blog ! *

Lara disse...

obrigada, são muito mesmo!! S:
gostei tanto do texto as vezes quando entro na casa dos meus avós digo tb que cheira a um deles... amei a carta <3

stéfanie* disse...

compreendo tão bem a tua situação , mas perdas destas só fazem de nós mais fortes ainda e não choramos ( ou pelo menos tentamos ) por eles .

Ana disse...

Mais um tão lindo :)

marianapereira disse...

está muito tocante :x
tens que ter força, nos primeiros tempos vai ser muito dificil, mas é preciso que tenhas coragem s:

Cláudia Nascimento M. disse...

Está tão sentido... até me arrepiei :s

Pat disse...

Fizeste-me chorar :s

Vânia Silva disse...

o meu avô também faleceu à pouco tempo e as tuas palavras fizeram-me lembrar dele. o texto está maravilhoso, cheio de sentimento e lembra-te que onde ele estiver está a olhar por ti e a proteger-te.

marianapereira disse...

eu sei, eu sei que é dificil. já passei pelo mesmo, mas posso dizer-te que com o tempo começas a conformar-te ...

Leonor disse...

ora essa :)*

Cláudia Nascimento M. disse...

Está mesmo emocionante...

sárafilipa. disse...

Oh, não era essa a minha intenção :o

Vânia Silva disse...

e também poderás ter (:
ele está certamente querida *

inês disse...

:o muito obrigada pelo enorme elogio $$:

marianapereira disse...

olha minha querida, eu não tinha uma grande relação com a minha avó, e só nos aproximamos quando se descobriu que ela estava doente, e também não me consegui despedir.
sei que é diferente, porque parecem ser unidos, mas tens que acreditar que ele está sempre do teu lado, a olhar por ti, para te proteger *.*

• Cɢ disse...

força, eu sei o que é... essa dor.

Anónimo disse...

tão profundo!

• Cɢ disse...

sim, é mas com o tempo ultrapassas..

daniela fernandes disse...

Estou a seguir :)
gostei do blog à primeira vista, apaixonei-me quando li o texto :$
Força!

Renata disse...

esta mesmo lindo, gostei do blog e segui,segues?

marianapereira disse...

mas, sara, aos poucos vais conseguir ultrapassar essa dor :s
e ele vai estar sempre a cuidar de ti, a olhar por ti *.*

Renata disse...

que exagero :O
Tão lindo *.*

vera disse...

concordo contigo (:
muito sentido o texto ~+.+

Joana disse...

tão lindo, vou seguir! e força *

patríciasecco. disse...

o texto está lindo, chorei ao lê-lo .
sei o quanto dói tudo isso, o quando custa. Força <3

vera disse...

pequeno desafio para ti , no meu blog ( : [tag_ten*]

sαrα αlves (: disse...

lindo , vou seguir (:

• Cɢ disse...

ás vezes, o tempo não é nada. as pessoas fingem simplesmente q esquecem.

Sara. disse...

Obrigada querida :)

Joana disse...

é tão complicado linda. acho que estou numa maré de azar, nada corre bem. mas muito obrigada querida *

vera disse...

de nada (: irei ver depois :p

Miriam disse...

Não tens de lhe deixar de escrever,ele está sempre a olhar por ti, e penso que ele ainda gostava de estar contigo, gostava que lhe roubasses bolachas e ainda gostava mais de te dizer aquelas frases tocantes que só um avó sabe dizer, por isso acho que podes continuar a escrever para ele. Acho que ele iria gostar muito (:

disse...

adorei o texto Sara, tocou-me*

sαrα αlves (: disse...

obrigada *.*

Mara disse...

Gosto muito da maneira como escreves, porque se nota que escreves conforme e sobre aquilo que sentes; e estou-te a seguir, se quiseres também podes seguir :)
Passei por isso, há uns anos, por um bisavô meu, e apesar de na altura ainda não ter completamente a noção, recordo-me que me custou bastante; e se fosse agora, mesmo que compreendendo melhor, custaria ainda mais. Por isso, aquilo que mais te desejo é muita força e que consigas nunca perder as recordações que demonstras nos teus textos. E sendo assim, acho que apesar de custar, te faz bem continuar a escrever para ele, porque isso o irá manter vivo para ti; e assim nunca irá realmente desaparecer de ao pé de ti, e nunca o irás perder completamente.

CátiaGuerreiro disse...

Está lindo, está profundo. E
é preciso muita força, para deixar ir uma pessoa. Principalmente para a querer deixar ir, quando a ama-mos. Tu vais encontrar essa força!